Afiliadas
Você está em:
DF - Brasília
105.5 FM
Filtrar por Regiões
Todas
Nordeste
Norte
Centro-Oeste
Sudeste
Sul
DF - Brasília
105.5 FM
MG - Belo Horizonte
96.5 FM
GO - Goiânia
Rede
MA - Pinheiro
90.9 FM
MG - Bueno Brandão
88.3 FM
MG - Buritis
91.9 FM
MG - Divino
102.9 FM
MG - Fervedouro
90.3 FM
MG - Medeiros – Circuito da Canastra
107.5 FM
MG - Paraíso
103.9 FM
MG - Serra da Mantiqueira
98.1 FM
MG - Sul de Minas
103.1 FM
MG - Taiobeiras
107.1 FM
MG - Unaí
93.1 FM
MT - Sapezal
97.3 FM
MT - Vera
90.9 FM
PA - Redenção
91.1 FM
PA - Tucuruí
90.9 FM
RO - Ariquemes
92.3 FM
RO - Conesul
100.9 FM
RO - Ji-Paraná
93.7 FM
RO - São Francisco do Guaporé
88.7 FM
RO - São Miguel do Guaporé
99.7 FM
SP - Barretos
100.1 FM
SP - Bebedouro
91.7 FM
SP - Campinas
Rede
SP - Catanduva
106.9 FM
SP - Centro-Oeste Paulista
88.7 FM
SP - Itapeva
93.5 FM
SP - Ipuã
92.5 FM
SP - Mogi Guaçu
88.1 FM
SP - Pirassununga
90.1 FM
SP - São José do Rio Preto
88.9 FM
PR - Foz do Iguaçu
93.7 FM
PR - Palotina
99.3 FM
RS - Erechim
90.7 FM
RS - Casca
88.5 FM
RS - Ciríaco
88.9 FM
RS - Panambi
88.7 FM
RS - Putinga
101.1 FM
RS - Santo Ângelo
94.5 FM
RS - Não Me Toque
95.7 FM
SC - Blumenau
89.1 FM
SC - Itajaí
102.1 FM
Ao Vivo
105.5 FM

Pagamento com débito e crédito nos ônibus do DF iniciará gradativamente

Cidade
Publicado em

Clube FM

O secretário de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal, Zeno Gonçalves, afirmou que o processo para encerramento do pagamento em dinheiro no transporte público será feito de maneira gradual a partir do segundo semestre

Por Pablo Giovanni via Correio Braziliense

O fim do dinheiro em espécie nos ônibus do Distrito Federal ocorrerá até o fim do ano, mas o processo de encerramento será feito gradualmente. É o que garante a Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob).

Ao Correio, o secretário da pasta, Zeno Gonçalves, explicou que todos os ônibus que circulam na capital federal já possuem validadores para cartões de débito e crédito, mas que estão desabilitados. O gestor da Semob afirmou que as mudanças começarão nas linhas que utilizam pouco pagamento em espécie, a partir de 1° de julho.

“Nós pretendemos retirar o dinheiro em espécie como forma de pagamento porque proporcionará mais segurança aos passageiros, motoristas e cobradores. Além disso, evitará filas com a questão do troco, que muitas vezes é empecilho”, disse, à reportagem. “

O nosso desejo é que as pessoas aderirem ao cartão Mobilidade, mas também proporcionando a eles a possibilidade de utilizar cartão de débito e crédito”, explicou.

Gonçalves afirmou que haverá um decreto e uma portaria, com publicação até o fim de maio, com a regulamentação do sistema. Para as pessoas aderirem à novidade, a Semob fará uma campanha educativa, onde elencará como será o processo e os benefícios de a população aderir o cartão Mobilidade. O modelo de pagamento por cartão bancário ocorre em 134 ônibus da Viação Marechal. 

“Está tudo desenhado, também, com o BRT. Por enquanto, quem paga com débito e crédito, não terá direito a integração. Por isso, a campanha massiva é para que todo usuário do transporte público tenha o cartão Mobilidade. Nós vamos ampliar os pontos para as pessoas terem acesso ao cartão”, garantiu Zeno.

O cartão Mobilidade é de uso pessoal e intransferível, sendo vedado qualquer tipo de doação, empréstimo, cessão, troca, transferência ou comercialização.

“Pretendemos começar com as linhas com pouco pagamento em espécie e, posteriormente, ampliando para outros ônibus. Todas as empresas (de ônibus) estão empenhadas para fazer isso acontecer. A nossa projeção é que até o final do ano ou antes disso, conseguimos retirarmos o dinheiro a bordo dos 100% dos nossos veículos”, detalhou o secretário.

O cartão Mobilidade é de uso pessoal e intransferível, sendo vedado qualquer tipo de doação, empréstimo, cessão, troca, transferência ou comercialização.

“Pretendemos começar com as linhas com pouco pagamento em espécie e, posteriormente, ampliando para outros ônibus. Todas as empresas (de ônibus) estão empenhadas para fazer isso acontecer. A nossa projeção é que até o final do ano ou antes disso, conseguimos retirarmos o dinheiro a bordo dos 100% dos nossos veículos”, detalhou o secretário.

De acordo com a Semob, o processo de encerramento de dinheiro no transporte público está em elaboração
(crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

Pix

Apesar do desejo, a Semob não prevê a inclusão de pagamentos por Pix nesse primeiro momento na totalidade do sistema. Desde setembro de 2022, a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) utilize esse tipo de pagamento.

O secretário explicou que os ônibus possuem uma peculiaridade. “Para que o pagamento Pix e QR Code funcione, precisa ter uma conectividade perfeita de internet. Caso não, isso pode travar a catraca. Nós estamos fazendo testes de conexão, principalmente nos ônibus da Marechal. É algo que entrará gradualmente também”, elencou. 

De acordo com Zeno, a pasta compreende que há pessoas que não têm acesso a uma conta bancária. Mas, que dará um jeito de todos serem incluídos. “O usuário que utiliza dinheiro não tem direito a integração.

Ele pode chegar a gastar R$ 16,50 indo para um local onde poderia somente gastar R$ 5,50. Nós pretendemos também fazer a integração com quem utiliza cartão bancário, mas é algo que vamos ajustando no caminho. Tudo será de forma gradativa e vamos identificar, nesse período, o que podemos adequar”, disse.

“Nós sabemos que haverá algum problema de ajuste no início, mas isso vai ser muito rápido. É importante que a gente melhore a forma de atender o usuário do transporte público. As pessoas querem se sentir confortáveis e ver que o sistema está melhorando. Isso tudo ajudará muito na segurança”, completou. 

Legislativo

Há um projeto que tramita na Câmara Legislativa (CLDF), desde o ano passado, que permite usuários do transporte público paguem a passagem com Pix. O projeto é de autoria do deputado distrital Joaquim Roriz Neto (PL).

A regra se aplica tanto o sistema rodoviário como metroviário, além de qualquer outro que venha a ser instituído na capital. A proposta explica que a nova modalidade não excluirá as outras já existentes, como o pagamento em dinheiro — o que é pleiteado pelo Executivo local.

O projeto já chegou a ser aprovado na Comissão de Transporte e Mobilidade Urbana (CTMU), mas ainda não chegou a ser receber pareceres das Comissões de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) e Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir ao plenário da Casa.

Em 8 de abril, transações por Pix bateram recorde no Brasil. De acordo com o Banco Central, foram registradas 201,6 milhões de transações em um único dia.

O recorde anterior havia sido registrado em 6 de março deste ano e era de 178,7 milhões de transações diárias. “Os números são mais uma demonstração da forte adesão de pessoas e empresas ao Pix, meio de pagamento lançado pelo BC em novembro de 2020”, disse o Banco Central, à época.

Veja Também
Veja Mais
Aplicativo Clube
Baixe o App da Clube e fique por dentro de tudo, o tempo todo.
O aplicativo de rádio mais legal da internet. Acompanhe a sua Clube em qualquer lugar!
App Clube
Contatos