Afiliadas
Você está em:
DF - Brasília
105.5 FM
Filtrar por Regiões
Todas
Nordeste
Norte
Centro-Oeste
Sudeste
Sul
DF - Brasília
105.5 FM
MG - Belo Horizonte
96.5 FM
MA - Pinheiro
90.9 FM
MG - Bueno Brandão
88.3 FM
MG - Buritis
91.9 FM
MG - Medeiros – Circuito da Canastra
107.5 FM
MG - Divino
102.9 FM
MG - Fervedouro
90.3 FM
MG - Paraíso
103.9 FM
MG - Sul de Minas
103.1 FM
MG - Taiobeiras
107.1 FM
MG - Unaí
93.1 FM
MG - Serra da Mantiqueira
98.1 FM
MT - Vera
90.9 FM
PA - Tucuruí
90.9 FM
PA - Redenção
91.1 FM
PR - Palotina
99.3 FM
RO - Ariquemes
92.3 FM
RO - Conesul
100.9 FM
RO - Ji-Paraná
93.7 FM
RO - São Francisco do Guaporé
88.7 FM
RO - São Miguel do Guaporé
99.7 FM
RS - Casca
88.5 FM
RS - Ciríaco
88.9 FM
RS - Erechim
90.7 FM
RS - Não Me Toque
95.7 FM
RS - Panambi
88.7 FM
RS - Putinga
101.1 FM
RS - Santo Ângelo
94.5 FM
SC - Blumenau
89.1 FM
SC - Chapecó
104.5 FM
SC - Itajaí
102.1 FM
SP - Barretos
100.1 FM
SP - Bebedouro
91.7 FM
SP - Campinas
Rede
SP - Catanduva
106.9 FM
SP - Centro-Oeste Paulista
88.7 FM
SP - Ipuã
92.5 FM
SP - Itapeva
93.5 FM
SP - Mogi Guaçu
88.1 FM
SP - Ourinhos
101.5 FM
SP - Pirassununga
90.1 FM
SP - São José do Rio Preto
88.9 FM
CE - Jericoacoara
Rede
GO - Goiânia
Rede
MT - Sapezal
Rede
PR - Foz do Iguaçu
Rede
Ao Vivo
105.5 FM

Rita Lee ganha mural na Vila Mariana, onde morou e foi presa

Celebridades
Música
Publicado em

Clube FM

O painel de 8 metros de altura e 15 de comprimento está localizado na Avenida Domingos de Moraes, 320, em frente à estação Vila Mariana do metrô

Por Agência Estado via Correio Braziliense

Rita Lee ganhou um mural em sua homenagem na Vila Mariana, bairro onde cresceu em São Paulo. O painel de 8 metros de altura e 15 de comprimento está localizado na Avenida Domingos de Moraes, 320, em frente à estação Vila Mariana do metrô.

A obra começou a ser preparada nesta semana pelos irmãos Paulo e Pedro Terra, com a ajuda de Eraldo Moura, e foi concluída ontem. Os artistas decidiram criar a arte após serem incentivados por seguidores nas redes sociais.

“Como já fiz diversas homenagens, pediram para fazer uma para ela”, explica Paulo ao Estadão. A “rainha do rock” morreu no dia 8 de maio, aos 75 anos. Com os pedidos, ele começou a busca de um local para o painel e, com dicas de seus seguidores, Paulo recebeu a ajuda do proprietário de um restaurante, que ofereceu o espaço para a homenagem.

Os artistas reproduziram duas fotos clássicas da cantora, uma dos anos 1960 e outra da década de 1990. “Escolhemos imagens de impacto que remetem ao semblante dela”, diz o muralista.

Rita morou na Vila Mariana até os 19 anos, em um casarão na Rua Joaquim Távora. “Era uma escola antes, cheio de salas e quartos, de sobes e desces e, depois que nasci, se transformou no meu castelo encantado. Minhas irmãs e eu ensaiávamos danças e teatrinhos no amplo porão da casa. Era uma farra. Colecionávamos pôsteres de filmes, fotos de ídolos, paisagens bonitas e, com o tempo, todas as paredes do porão viraram o Planeta Lee”, contou ela no livro Uma Autobiografia (2016).

No livro, a cantora também narrou como rascunhou suas primeiras canções. “Havia uma molecada aqui e ali que montava banda, mas nada além de um hobby passageiro. Eu tive uma banda só de meninas no Pasteur que fez um sucesso razoável nos festivais de escolas, chamava-se The Teenage Singers.”

Rango

Quando se casou com Arnaldo Batista e, junto dele e de Sérgio Dias, lançou Os Mutantes, Rita se mudou do bairro, mas logo voltou, quando já estava separada. “Morei em vários lugares em São Paulo, mas um belo dia bateu uma baita saudade da Vila Mariana. Encontrei um sobradinho simpático na Rua Pelotas longe o suficiente da casa dos meus pais, mas perto o bastante para ir a pé fazer uma visitinha e filar um rango gostoso.”

Foi lá também onde ela foi presa, em 1976, grávida do filho Beto Lee. “Em agosto, sete meganhas invadiram minha casa sem qualquer mandado e plantaram um monte de cannabis. Eu estava grávida de dois meses e nem queria ver drogas pela frente, mas fui presa para servir de mau exemplo para a juventude.

Quando o Deic foi bombardeado, escutei o estrondo de casa. Dia seguinte tentei passar por lá para comemorar, mas a região estava interditada e naquela época a gente morria de medo de tudo”, contou ela na biografia Rita Lee Mora ao Lado, do jornalista Henrique Bartsch.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Veja Também
Veja Mais
Aplicativo Clube
Baixe o App da Clube e fique por dentro de tudo, o tempo todo.
O aplicativo de rádio mais legal da internet. Acompanhe a sua Clube em qualquer lugar!
App Clube
Contatos